Com uma periodicidade quinzenal, este clube destina-se a promover o prazer da leitura partilhada, bem como o desenvolvimento de algumas técnicas que a ajudem a pôr em prática.
Para quem gosta de ler para os outros e de ouvir ler.

Quarto



começámos por falar da Vila Literária de Óbidos e da Granta

a Marília trouxe-nos um autor, até agora para si desconhecido
Leu-nos dois excertos de "O Profeta" de Khalil Gibran,
eis um deles:

Crianças

Depois, uma mulher que trazia uma criança ao colo disse, "Fala-nos das Crianças."
E ele respondeu:
Os vossos filhos não são vossos filhos.
São os filhos e as filhas da Vida que anseia por si mesma.
Eles vêm através de vós mas não de vós.
E embora estejam convosco não vos pertencem.
Podeis dar-lhes o vosso amor mas não os vossos pensamentos, pois eles têm
os seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar os seus corpos mas não as suas almas.
Pois as suas almas vivem na casa do amanhã, que vós não podereis visitar,
nem em sonhos.
Podereis tentar ser como eles, mas não tenteis torná-los como vós.
Pois a vida não anda para trás nem se detém no ontem.
Vós sois os arcos de onde os vossos filhos, quais flechas vivas, serão
lançados.
O arqueiro vê o sinal no caminho do infinito e Ele com o Seu poder faz com
que as Suas flechas partam rápidas e cheguem longe.
Que a vossa inflexão na mão do arqueiro seja para a alegria;
Pois assim como Ele ama a flecha que voa,
Também ama o arco que se mantém estável.


e entrámos nas leituras sobre o tema da sessão:

Marília leu um excerto de "Um quarto que seja seu" de Virginia Woolf

António, Cíntia e Alexandra leram um excerto do primeiro capítulo, "A Bertolini" do livro "Um quarto com vista" de E. M. Forster

Antónia leu um excerto de "Eugénie Grandet" de Honoré de Balzac

Fernanda e Graciete leram "Sacrifício da Aurora" de Vinícius de Moraes

Manuel leu de "O quarto de Jacob" de Virginia Woolf

Alexandra leu "Quarto", um original de Pedro Branco

No teu quarto,
Às quatro e um quarto
Um quarto de hora e um quarto de ti, no teu quarto!
Quarto piso, quarto escuro e quarto crescente...
Lagarto, lagarto, lagarto!
Não, nunca me farto deste teu quarto
E quando parto, triste parto;
Mas esparto o nosso quarto
Nos compartimentos da minha mente.
 (…..)
Repetidamente e sempre no teu quarto,
Quarto escuro, às quatro e um quarto
Um quarto de vida vezes quatro, no teu quarto.
Quarto piso, piso quarto, no alto de uma ameia.
Lagarto, lagarto, lagarto!
Obcecadamente, não me farto deste quarto
E agora já não parto, não mais parto do teu quarto,
Nosso quarto, quarto com sabor a casa cheia!

Ana Maria leu "Assassinato de Simoneta Vespucci" de Sophia de Mello Breyner Andresen

Rosa leu um excerto de "O livro mágico" de Marta Ligioiz

Fernando leu "Dormir" do livro "O espelho atormentado" de Russell Edson

Eugénia leu um excerto de "A filha do Papa" de Luís Miguel Rocha

finalmente posámos com a Granta

e acabámos nos bolos (de baixo teor calórico)

1 comentário:

  1. Parabéns à Alexandra, Cíntia e António pela excelente actuação e leitura que fizeram, momento alto da noite.

    ResponderEliminar