Com uma periodicidade quinzenal, este clube destina-se a promover o prazer da leitura partilhada, bem como o desenvolvimento de algumas técnicas que a ajudem a pôr em prática.
Para quem gosta de ler para os outros e de ouvir ler.

meu querido mês de Agosto




Esta sessão do CLEVA começou com um convite feito a todos para que estivessem presentes na defesa da tese de mestrado de João Duarte Victor sobre o nosso clube. O facto de ter acontecido numa sexta-feira às 14.30h, não ajudou a que comparecêssemos muitos, mas ainda fomos alguns. Podemos contar-lhes aqui que o resultado foi excelente, aliás, foi essa a nota atribuída pelo júri: EXCELENTE (18 valores). Foi emocionante ver o resultado da pesquisa do João e o reconhecimento do nosso trabalho.

Gravámos ainda em vídeo um poema de António Gedeão dedicado à Maria Abelha. A Maria, que fez parte da última edição do CLEVA, teve uma tragédia na sua vida, o que a tem impedido de comparecer às nossas sessões. Pelas saudades e votos de que ela se recomponha o melhor e o mais rapidamente possível, deixamos aqui esta pequena lembrança.

Passámos depois às leituras sobre o tema proposto: "Meu querido mês de Agosto". O tema foi, como sempre acontece em todas as sessões, interpretado por cada um de modo diferente. A frase é retirada de uma canção antiga de Dino Meira e retrata de modo simples (simplista?) a emigração portuguesa. Já tinha sido utilizada por Miguel Gomes no seu filme "Aquele querido mês de Agosto", e acabou por ser interpretada pela maioria dos participantes do CLEVA como uma referência ao Verão, às férias e à "felicidade" que lhe está associada.

Começámos por ouvir a Cristina a ler textos relacionados com a emigração de Rosalía de Castro (Pra Habana traduzido por José Niza), Ruy Belo (Morte ao meio dia), Pedro Abrunhosa (Para os braços da minha mãe) e J. Rentes de Carvalho (Ernestina).

Depois vieram os textos sobre o Verão, ou sobre Agosto ou mesmo o Sol: Sophia de Mello Breyner com um poema (Os dias do Verão) e um excerto da sua Menina do mar; Xico Braga e uma das suas Estórias (para adultos) infantis (A maré); um excerto de Os pescadores de Raul Brandão; um excerto de A relíquia de Eça de Queiroz; um excerto de Os pássaros de seda de Rosa Lobato de Faria; um excerto de Da felicidade de Herman Hesse; um excerto de Os cavalos de Tarquínia de Marguerite Duras; duas crónicas, uma de Alice Vieira (do livro Bica escaldada) e outra de Saramago (do livro Deste mundo e do outro); e ainda um poema de Vitorino Nemésio do livro Portugal a terra e o homem.

E só voltámos a ouvir falar de Dino Meira, ou melhor, a ouvir cantar o Dino Meira, no final da Sessão. A Celina e a Olívia construiram uma brincadeira à volta das "exigências" e regras do clube, sobre os autores escolhidos, sobre as fontes utilizadas, etc, e depois de passarem por Ary dos Santos, Shakespeare, Luís Graça, montaram um bailarico que todos adorámos e ao som do Dino Meira todos dançámos.


A Antónia Carvalho trouxe-nos um autor que ainda está a descobrir: Claudio Magris. O livro que apresentou: Danúbio. Aconselhamos a leitura e se alguém se dispuser a organizar uma viagem por esse Danúbio abaixo, contem comigo (Cristina).

3 comentários:

  1. Muito bom trabalho
    Que bom fazer parte deste grupo. Bom ano para todos

    ResponderEliminar
  2. Muito bom trabalho
    Que bom fazer parte deste grupo. Bom ano para todos

    ResponderEliminar