Com uma periodicidade quinzenal, este clube destina-se a promover o prazer da leitura partilhada, bem como o desenvolvimento de algumas técnicas que a ajudem a pôr em prática.
Para quem gosta de ler para os outros e de ouvir ler.

Parece mentira




Com um tema destes, a sessão começou com uma rodada de mentiras. Detectar sinais físicos e comportamentais nos outros quando dizem algo que é verdade ou mentira, foi a proposta de jogo da Cristina. Foi bastante divertido assistir ao trabalho de máscara que cada um compõe, que cada um imagina que é a mais convincente para os outros. 

Depois passámos aos profissionais da mentira, aos dramaturgos, uma vez que a proposta do tema vinha acompanhada com a referência de que os textos escolhidos deveriam ser teatrais: Manuel António Pina (O inventão), Gil Vicente (Auto da barca do inferno), Gabriel Bosco (Uma criada moderna), Yasmina Reza (Arte), Mário de Carvalho (Se perguntarem por mim não estou), Bernard Shaw (Pigmalião), Eugène Ionesco (O rinoceronte), António Patrício (Pedro, o cru), Sófocles (Antígona), Almeida Garrett (Falar verdade a mentir) e António Gedeão (A história breve da lua). Ainda tivemos textos não teatrais adaptados pelos leitores: (Pinóquio) de Carlo Collodi e (Antigamente) de Luísa Ducla Soares

a Mila falou-nos um pouco de Katherine Pancol,  autora até agora desconhecida para si,
e leu-nos um excerto de "Amamos como nos amaram"
Foi uma sessão divertidíssima e que acabou em festa como é costume.

2 comentários: