Com uma periodicidade quinzenal, este clube destina-se a promover o prazer da leitura partilhada, bem como o desenvolvimento de algumas técnicas que a ajudem a pôr em prática.
Para quem gosta de ler para os outros e de ouvir ler.

Floresta (uma leitura diferente)

Depois do desafio achei que uma maneira diferente de ler seria ... pegar num livro e sem mais nem porquê lê-lo ali mesmo em voz alta. Era no Metro... voltei a mim e disse "sozinha? nem pensar!" Uns dias mais tarde recolhi estas imagens para ilustrar propositadamente o poema Cidade. Tinha-o descoberto no Verão e achei que quando o tema da "Floresta" saísse seria uma boa escolha. O som não tem grande qualidade por isso deixo aqui a transcrição...

Cidade



Cidade, rumor e vaivém sem paz das ruas,
Ó vida suja, hostil, inutilmente gasta,
Saber que existe o mar e as praias nuas,
Montanhas sem nome e planícies mais vastas
Que o mais vasto desejo,
E eu estou em ti fechada e apenas vejo
Os muros e as paredes, e não vejo
Nem o crescer do mar, nem o mudar das luas.

Saber que tomas em ti a minha vida
E que arrastas pela sombra das paredes
A minha alma que fora prometida
Às ondas brancas e às florestas verdes.
Sophia de Mello Breyner Andresen
Obra Poética I
Caminho

7 comentários:

  1. Boa! Que bela ideia e que poema extraordinário.
    Brava!
    Se bem que eu gosto muito de cidades( mas gosto delas verdes e não assim cinzentas).
    Beijos e parabéns
    Cristina

    ResponderEliminar
  2. Mas que ideia tão bonita! Muito bom, Lena!
    Beijinhos,
    Virgínia

    ResponderEliminar
  3. Muito bem Lena. Extraordinária ideia. O resultado soa um pouco minimalista, mas enriquece e de que maneira! o nosso blog. Parabéns! Aposto que esta nem a Cristina se tinha lembrado!

    ResponderEliminar
  4. Nem pensar! Eu e câmaras de filmar (ou telemóveis)não nos entendemos lá muito bem.
    Eu gostei muito, muito.
    Bjs
    Cristina

    ResponderEliminar
  5. Não acredito Cristina nessa timidez em frente às câmaras. Até porque já tive oportunidade de te ver.
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. A timidez não é em frente às câmaras. A dificuldade está em pegar-lhes e pô-las a funcionar. Daí que nunca me ocorresse uma ideia como esta da Lena. :)
    Cristina

    ResponderEliminar