Com uma periodicidade quinzenal, este clube destina-se a promover o prazer da leitura partilhada, bem como o desenvolvimento de algumas técnicas que a ajudem a pôr em prática.
Para quem gosta de ler para os outros e de ouvir ler.

Ainda o Jantar de S. Martinho

Liberdade

— Liberdade, que estais no céu...
Rezava o padre-nosso que sabia,
A pedir-te, humildemente,
O pão de cada dia.
Mas a tua bondade omnipotente
Nem me ouvia.

— Liberdade, que estais na terra...
E a minha voz crescia
De emoção.
Mas um silêncio triste sepultava
A fé que ressumava
Da oração.

Até que um dia, corajosamente,
Olhei noutro sentido, e pude, deslumbrado,
Saborear, enfim,
O pão da minha fome.
— Liberdade, que estais em mim,
Santificado seja o vosso nome.
 

Miguel Torga, in 'Diário XII'

Querem uma Luz Melhor que a do Sol!
AH! QUEREM uma luz melhor que
a do Sol!
Querem prados mais verdes do que estes!
Querem flores mais belas do que estas
que vejo!
A mim este Sol, estes prados, estas flores contentam-me.
Mas, se acaso me descontentam,
O que quero é um sol mais sol
que o Sol,
O que quero é prados mais prados
que estes prados,
O que quero é flores mais estas flores
que estas flores -
Tudo mais ideal do que é do mesmo modo e da mesma maneira!
 

Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos"

O nosso contributo, meu e da Isabel para a ceia de hoje. Não é o São Martinho directamente mas a Liberdade e o Sol têm a ver com tudo

2 comentários:

  1. João e Isabel, boa noite. Regressámos agora mesmo da ceia. Obrigada por mais esta noite (a vós e a todos, claro). Fica aqui um agradecimento especial ao João, pela oferta do poema do Torga. É um dos meus favoritos. E, já agora, deixo aqui outro dele de que também gosto muito:


    "Comunicado

    Na frente ocidental nada de novo.
    O povo
    Continua a resistir.
    Sem ninguém que lhe valha,
    Geme e trabalha
    Até cair."

    Miguel Torga

    P.S. Fui verificar, porque não estava certa, mas afinal é isso mesmo: onde está pio, deveria estar pão.

    ResponderEliminar