A partir de Outubro de 2017, ao entrar no seu 8º ano de existência, o Clube de Leitura em Voz Alta passou a Coro de Leitura em Voz Alta. Continua a ter uma periodicidade quinzenal e a acontecer na Biblioteca de Alcochete.

Os objectivos continuam a ser os mesmos; promover o prazer da leitura partilhada; a forma passou a ser outra.

o CLeVA no dia internacional do idoso

Foi hoje apresentado, no Fórum Cultural, o Plano Municipal Sénior de Alcochete.

A Andante foi convidada a apresentar este clube de leitura, e alguns dos membros, os que conseguiram estar presentes... leram.



a Mariana, a Eugénia e a Graciete leram, entre outros, "Onde estão as casas?" do livro "Urgente" de Fernanda de Castro

Onde estão as casas?
Onde estão as casas?

Só vejo prisões,
só vejo caixões
para se morrer,
onde estão as casas
para se viver?

Vejo casarões
onde o corpo vive,
não o pensamento.
Vejo torres altas
de ferro e cimento.
Olho cada uma:
tudo bem cinzento,
cor de cor nenhuma.

Tinham nas janelas
cravos, sardinheiras,
cortinas de cassa.
Quem se lembra delas
e da sua graça?

Tinham nos beirais
ninhos de andorinhas,
pequenos quintais
com dois pés de vinha.

Onde estão as casas?
Onde estão as casas?

As portas não eram
forradas de trancas,
eram portas boas,
eram portas francas,
portas para amigos,
portas sem ferrolhos,
portas com postigos.

Onde estão as casas?
Onde estão as casas?

Vejo só gaiolas,
vejo só prisões,
vejo só quartéis,
só prédios modernos,
pequenos infernos,
passarões sem asas.

Onde estão as casas?
Onde estão as casas?




a Mila leu "Fado português" de José Régio



e a Anabela leu um poema inédito de Jaime Alves, idoso da Santa Casa da Misericórdia de Alcochete.

Sem comentários:

Enviar um comentário