A temporada de 2020-2021 foi cancelada na sequência da pandemia Covid-19.

Foi com grande tristeza que nos vimos forçados a tomar esta decisão, motivada pelo perigo de propagação da doença provocada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) e em nome da segurança e do bem-estar de todos os participantes.

A existência de um coro, como o CLeVA, não se coaduna com as regras de distância preconizadas como medida importante de redução da transmissão de covid-19. Ter várias pessoas juntas, a ler em voz alta, é criar um ambiente confortável à propagação do novo coronavírus se, entre elas, houver um caso positivo.

Voltaremos a avaliar a situação em meados de 2021 e então decidiremos se será possível retomar a actividade normal.


O Clube de Leitura em Voz Alta é agora Coro de Leitura em Voz Alta. Tem normalmente um periodicidade quinzenal e acontece na Biblioteca de Alcochete.

Os objectivos continuam a ser os mesmos; promover o prazer da leitura partilhada; a forma passou a ser outra.

14 de Maio - mais bolo...


Primeiro que tudo queria agradecer a todos por uma festa de anos inesquecível! MUITO OBRIGADA!

Para quem me pediu as referências, o contacto é "doces paladares". O bolo tinha massa de chocolate e recheio de compota de frutos silvestres, mas há muitas outras opções, quase todas testadas e aprovadas.

2 comentários:

  1. Obrigada, Cristina, pelo "Dia de Anos"!

    Dia de anos
    A Zeferino Brandão

    Com que então caiu na asneira
    De fazer na quinta-feira
    Vinte e seis anos, que tolo!
    Ainda se os desfizesse,
    Mas fazê-los não parece
    De quem tem muito miolo!

    Não sei quem foi que me disse
    Que fez a mesma tolice
    Aqui o ano passado...
    Agora o que vem, aposto,
    Como lhe tomou o gosto,
    Que faz o mesmo. Coitado!

    Não faça tal; porque os anos
    Que nos trazem? Desenganos
    Que fazem a gente velho:
    Faça outra coisa; que, em suma,
    Não fazer coisa nenhuma,
    Também não lhe aconselho.

    Mas anos, não caia nessa!
    Olhe que a gente começa
    Às vezes por brincadeira,
    Mas depois se se habitua,
    Já não tem vontade sua,
    E fá-los queira ou não queira!

    JOÃO DE DEUS

    ResponderEliminar